sábado, julho 29, 2006

OS PASSARINHOS TÃO ENGRAÇADOS...

A minha lista de ninhos-sabida de cor-aumentava todos os anos em número e variedade. Em Carvalho : De rouxinois, melras e tentilhões, pintassilgos e aivões e até um de andorinha - como meia tigela - colada à parede duma mina. No Valminhoto : Um de pôupa no castanheiro e o de pêto no toco dum pinheiro. O de cartaxo com ovos azuis e da ferreirinha no curral e o da tchendra nas moitas no alto do Carvalhal. Do Casal da Pires a lista pouco vos diz além do ninho dum mocho e vinte ovos de perdiz, e da pequena pôça que mal se via, levantava e subia em espiral cantando a cotovia ao raiar do dia. Ninhos de carriça, felozinha e lavrandeira pelas margens da ribeira e aqui de baixo d'água vivia a melra peixeira.Um vizinho meu rival sabia ainda mais ninhos que eu e cada um mais exótico que outro. Sabia ninhos de rolas-muito raras no Sobral-e chegou até a criar filhotes em gaiolas. Coisa que para mim parecia um sonho impossível de realizar. Sabia ainda um ninho duma coruja na toca duma sobreira e até um de noiteboa (noitibó) que só voava ao cair da noite. Era costume fazer-mos trocas de ninhos mas para conhecer o da noiteboa, tive que pagar um alto preço. Tive que lhe entregar mais de metade da equipa do Benfica de 1966 em cromos do futebol. Dei o Eusébio, o Coluna e o Torres, o Simões , o Jaime Graça, o Zé Augusto e o Costa Pereira, e ainda queria o Matateu e o Iaúca - os melhores do Belenenses- . propuz-lhe a troca dum original ninho de aivão (papa figos) mas ele disse que desses sabia vários, e que um até parecia uma tigela pendurada por três baraças na ponta da pernada altíssima dum pinheiro. Fui conhecer o ninho da noiteboa depois de ter entregue três jogadores que deixaram desfalcada a minha colecção: Um da Sanjoanense um do Leixões e outro do Seixal. Apesar de ter na minha loja quantos rebuçados queria a verdade é que muitos cromos -como hoje- eram difíceis de encontrar.Em Maio do ano seguinte o meu rival foi morar na França e como eramos amigos cedeu-me sem custos os ninhos que tinha achado. Uns ainda a pôr, outros já no chôco e alguns já com filhotes. Passá-mos um Domingo na vistoria e tomada de posse da lista dos ninhos da qual constava , imagine-se um de uma rola. Calculei que fosse no mais alto pinheiro do seu Valminhoto mas era no meu e logo num hervedeiro (medronheiro) com apenas dois metros de altura. E pronto, ali estava eu como maior proprietário de ninhos em todo o limite do Sobral. Havia que estudar pró exame da 4ª classe e não ligar muito aos ninhos , mas o da rola era especial e a minha grande oportunidade de tê-las numa gaiola. Tive que seguir as instruções para poder tirar dos ninhos os filhotes já bem crescidos sem correr o risco de o abandonarem , e não ter que vigiar o ninho dia após dia.Na altura devida fui ao Valminhoto , subi ao forte hervedeiro e lá estava o ninho bem simples e camuflado já com dois filhotes já com algumas penas. Com os fios que levei de casa atei uma pata de cada rolinha e passando os fios pelo fundo do ninho amarrei-os à pernada que o suportavam. Fiquei por ali um pouco , escondido a ver se os pais não teriam engeitado o ninho, mas tudo ficou normal quando os pais vieram com comida,e abandonei o local a imaginar a gaiola e o meu casal de rolas que me tinham caido do céu. Como se diria hoje, cuidar de tantos ninhos devia ser mais stressante que tratar duma cabrada. Hahahá... Stressado fiquei no dia 1 de Julho ao chegar pela 1ª vêz à Covilhã e devido ao exame da 4ª classe,mas a prova escrita correu bem . Apeteceu-me ir visitar as rolinhas mas resolvi esperar mais uma semana para depois da prova oral . Dia de stress devido ao aperto dos sapatos novos , ao calor e cheiro da gasolina. O exame acabou, a malta do Sobral toda passou e toda a gente cantou e o stress (o que é isso ?) acabou...No dia seguinte fui de madrugada ver da minha prenda... Ao avistar o hervedeiro as minhas pernas tremiam e o coração batia forte. Poderia ser da ladeira mas presentia que qualquer coisa esta mal, também reparei que não tinha onde carregar e como esconder as rolas.Aproximei-me mais e o coração disparou ao ver que o ninho parecia vazio. Será que fui roubado ou fiz algo errado??? Segunda opção... deixei os fios muito compridos e os meus passarinhos já criados saltam do ninho para a liberdade mas ficaram pendurados a balançar. Tinha chegado tarde demais. O choque demorou a passar . Sentei-me ali a vê-los balançar. O meu sonho a morrer... E o sol atravéz dos pinheiros a romper e no Souto Negro a "nascer"...No ano seguinte não fui aos ninhos e no outro quando o Aldrin partiu para a Lua eu parti para Tomar vender pregos e imperiais das 7 da manhã à meia-noite... Que stress... mas que saudades do Sobral. Ao fim de três meses libertei-me e voltei a ver e ouvir os passarinhos.

21 comentários:

sarilha disse...

Fantástico... q belo conrador de histórias...

sarilha disse...

... queria dizer contador de histórias...

Serranita disse...

Parabéns Virgilio. Mto bem!

famel disse...

k espectaculo...apesar d certos promenores me deixarem de lagrima no canto do olho

finadamina disse...

Virgílio, bem hajas pelas lembranças. Não que eu andasse aos ninhos, isso era "proibido" a uma rapariga, mas pelas conversas que me fizeste lembrar, que os meus primos e os garotos tinham.A valentia de cada um media-se pelos ninhos que conheciam.
========
Os ninhos são umas construções muito bonitas...
Vocês que andam aí por montes e vales não podiam tirar fotografias a alguns ninhos e pô-las aqui no blog?

finadamina disse...

para completar o título:

...FAZEM OS NINHOS COM MIL CUIDADOS
SÃO PARA OS FILHINHOS QUE ESTÃO PARA NASCER ...

não me lembro do resto ...

virgílio neves disse...

São p'ra os filhinhos
que estão p'ra ter
que os passarinhos
Os vão fazer.

Nos bicos trazem
Coisas pequenas
E os ninhos fazem
De musgo e penas.

tem mais 3 quadras...

atumnespereira disse...

Já agora disnos lá Virgílio, se no Sobral, também havia superstições relativamente aos ninhos que se conhecia. Em Casegas nos os miudos que andáva-mos aos ninhos, tinha-mos a superstição de que não se podia falar da localização dos ninhos em frente do lume ou do leite, pois as cobras iriam lá comer os ovos ou os pássaros.
Fizeste-me lembrar o meu melhor amigo de nascença, o Rui cego, chamava-mos-lhe assim por ele prátivamente não ver, mas que era quem subia por nós às paredes e às àrvores para seguir o estado de desenvolvimento dos ocupantes dos ninhos. Infelizmente já faleceu e agradeço-te teres-me feito recordar não só parte da minha infância, mas também de um amigo.

Virgilio neves disse...

atumnespereira é verdade já não me lembrava dessa,no Sobral era tb assim, e havia tb a crença que se dormisse-mos a sesta no campo depois de comer leite era "visita certa" da cobra que nos entraria pelas goelas abaixo. E que os sardões atacavam os homens que lhes passavam à porta da toca e às mulheres eram as cobras .Que medos que nós passáva-mos...Os mais velhos aos mais novos.

VIRGILIO neves disse...

Voltando ainda aos ninhos da m/ história, aquele meu amigo/vizinho/rival, que também já morreu era mesmo um perito na matéria, identificava qualquer ninho instantâneamente com ovos ou s/ eles´.A história pode parecer maçadora, mas gostei da v/ reacão. A ideia é mesmo essa lembrar aqueles dias que não voltam mais.

VIRGILIO neves disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
famel disse...

Eu adoptei 1 andorisco anteontem, ele n come nd, e n voa :( k posso fzr p o ajudar?

atumnespereira disse...

Apanha moscas com um mata moscas, não com produto e dá-lhe. São incectívoros.

VIRGILIO neves disse...

Famel engorda bem esse bichinho e quando chegar o dia 27 de SETEMBRO
às 7h e 35m pegas nele e virada p/
sul solta-o que ele voltará a esse local 6 meses depois,á mesma hora, ali por 27 de MARÇO do ano seguinte, caso este não seja bissexto.como não o é de facto.

VIRGILIO NEVES disse...

Finadamina OBRIGADO PELA VISITA, é pena que não seja mais tempo dos ninhos para te enviar a fotos de alguns,mas o próximo que eu saiba vou fotografar e enviar, por agora tens contentar-te com os ninhos artificiais num site que deu um elemento do spea.pt -sociedade de protecção estudo das aves. vai a www.verytypical.com. tchau...

finadamina disse...

Virgílio, não tens que agradecer. Sou visita assídua ao vosso blog e ao de casegas.
Agradeço as dicas dos sítios.Gostei! O artesanato e os ninhos de madeira tudo fruto do trabalho e do respeito pelas origens. Não permanecem nelas, mas respeitam-na têm-na em conta na imaginação e no poder criador que cada pessoa tem em si.
Mas encontrei outros artesãos, e encontrei fotografias de ninhos. Amanhã ponho no blog s. jorge.

Dou-te os parabéns és uma grnde animador cá destas coisas da internet.

finadamina disse...

famel, como está a cria? Fiquei de antenas levantadas ...
Dá notícias do animal pode ser?

famel disse...

ola! noticias freskinhas do passarinho...comeu moscas k s fartou e minhocas! ontem fiz + 1as tentivas p ele voar e dps d mt tentar ele voou e ja n sei + nd dele, m espero k esteja bem! bem haja a tds pela preocupação e dicas :)

finadamina disse...

Bem hajas. Se conseguiu voar está tudo bem. Estás de parabéns

Anónimo disse...

That's a great story. Waiting for more. scanners barcode General accounting office dialysis report Divorce statistics usa skin care Coupon code for budget rental trucks http://www.faucet-1.info http://www.debt-consolidation-40.info Dell aio printer a940 cartridges Mesotherapy before and after picture florida Marx toy pricing guide lines Teenie peeing Phone tap

Ferreira Isa disse...

Olá bom dia..tenho um andorisco que só tem força numa pata a outra vai mexendo mas não agarra..não come nada...já tentei moscas..mas ele não come..não sei o que fazer...tenho muita pena dele.. alguém me pode ajudar..obrigado