sábado, novembro 10, 2007

São Martinho, Adega e Vinho

Passava esta manhã pela zona antiga de Angra do Heroísmo quando ao chegar à Praça Velha (o “Pelourinho” cá do sítio) reparei nesta pequena exposição alusiva ao dia de São Martinho e ao vinho. Fotografei, pois gosto de guardar estas antiguidades.

Mais tarde ao ver as fotos, senti que me traziam um cheirinho a Sobral . Lembrei-me então que podia partilhar aqui no Blog, pois embora por outras paragens, de certeza que são equipamentos familiares a muitos de vós.











Quem se lembra? Que recordações traz?

8 comentários:

Jessy James disse...

Lindas fotos Serranita obrigado por partilhar conosco .Nao me lembra no sobral usarse um esmagador de gachos era mais de calca arregacada e descalco para a dorna, eu ainda fiz parte de algumas,quanto a prenca tambem se nao usava porque o bagaco era usado para a aguabenta que era muinto apreciada pela malta

virgilio neves disse...

Está tudo muito bem a condizer com as vindimas e o fabrico do vinho. Vê-se logo que estamos num "cantinho" de Portugal. O que ficaria a destoar na foto era uma bela cesta com ananázes, lol lol.


Então jessy james já trocas o nome á aguardente?
Se calhar apanhaste alguma piela na noite de S. Martinho. lol oll

sobralense disse...

este esmagador das uvas lembra-me os lagares que havia no sobral e era esse o metodo de espremer o azeite, as azeitonas depois de moídas com a galga tocada a àgua eram premidas num aparato parecido a esse, à qual chamavam VARA.Digo parecido porque em vêz da barrica onde deitam as uvas,usavam ceiras onde metiam as azeitonas moidas. Serranita,estas fotos estão muito apropriadas para a época. Pelo S. Martinho mata o teu porco/assa castanhas/e bebe o teu vinho

Mariita disse...

Serranita, as fotos estão mesmo elucidativas e são lindas, parabéns! Gostei muito de ver e acho que se deve continuar a divulgar e valorizar estas coisas antigas e tão "nossas".
Recordações... sobretudo a azafáma que se vivia nas vindimas, no lançar dos "gachos" para as dornas, o "lava-pés" de quem ia esmagar as uvas e depois o cheiro!
Havia no ar um cheiro doce...
A casa já não existe, mas quando lá passo, parece que ainda sinto esse perfume que emanava da loja da minha avó, no cabecinho, sempre que ela mexia "o mosto" na dorna, com uma vara, de tanto em tanto tempo e só depois é que este ia para os pipos .

Jessy James disse...

Ola Vergilio a troca de nome foi intencional .Quanto a piela de Sao martinho nao ha tempo para ela castanhas so por aqui aparecen pelo natal penso que vem da China e nao sao mas nunca como as do valminhoto ,au mesmo tempo aparece por aqui um vinhito frances o bon jole, dizem que tem de ser bebido na altura ,se houver boa companhia talvez se bebao umas garrafitas yak...yak..yak

famel disse...

E a jeropiga...ng fala da cara amiga jeropiga?! Branca, tinta ou ainda melhor a de marmelo que provei no ano passado em Casegas e era divinal!

O meu S. Martinho foi mt triste pq houve ausencia da jeropiga, aqui p estes lados só bebem água pé e diga-se de passagem nada boa!

Snifffffffffffffffff

Serranita disse...

Cheia de sorte, famel, aqui até houve ausência da castanhinha:)

famel disse...

Não ha por ai uns castanheiritos?