terça-feira, setembro 05, 2006

O Verão tem destas coisas



O Verão no Sobral passa pelo menos por estas quatros imagens:

1- as paredes cheias de "botelheiras";

2- o poço do ribeiro que, apesar de pequeno, é um sitio excelente para dar uns mergulhos nas calmas;

3- o azul do céu e a "marginal" da nossa aldeia;

4- a azeitona a engrossar....












Fotos de Virgilio Neves

15 comentários:

zef disse...

Pois é, senhoras e senhores, aquela água-céu e o céu-água hão-de levar-me outra vez ao Sobral; de caminho, hei-de roubar folhas de botelheira para amolecer um naco de queijo…A azeitona vai esperar o frio de que precisa.
Boas noites

VIRGILIO NEVES disse...

Bom dia ZEF sabias que no Sobral se comia noutros tempos muita botelha (cozida) com leite ? Eu esmagava-a e punha-lhe também açucar amarelo- que era mais doce.
Nunca me lembrei de pôr tambem canela, mas um dia vou inovar...
O que me falta cá é o leite de cabra,porque a botelha cá vem ter...da branca e da vermelha p/ fazer doce -tipo marmelada- que se come depois c/ côco ralado e se quiserem canela ...

Moka disse...

Famel! Podias fazer um desafio, ao pessoal para tentarem localizar o ponto de onde foi tirada a 3.ª foto.

Faço colecção de fotos do Sobral, mas devo de dizer, que nunca me passou pela cabeça, tirar uma foto deste local, realmente é MAGNÍFICO!!!!!!!

Espero não ter que pagar direitos de autor!!!! Mas algumas das minhas próximas fotos, vão ser deste ponto.

Gostei!!!

VIRGILIO NEVES disse...

MOKA enquanto o Rui assinava o livro dos casamentos na sacristia eu raspei-me p/ o coro da igreja e dali escapei-me pelas escadaria de pedra em caracol e fui ás 4 janelas da torre tirar fotos aos 4 ventos. Esta era fácil de descobrir...se lá fores toma cuidado não marteles a cabeça no sino que vais ficar a ver estrelas.

VIRGILIO NEVES disse...

nos sinos.

Moka disse...

Virgílio Neves! Assim que vi a foto, descobri logo o local de onde foi tirada.

Da minha próxima visita ao Sobral, vou tentar tirar algumas fotos deste local.

Talvez o mais difícil seja entrar. Da minha ultima visita reparei, que a porta da Igreja estava sempre fechada.

Sobralfilho disse...

Oi, Zef
Se fores ao Sobral vai cedinho, quando o Sol bater no Cabeço D’Ánave e verás a magia das manhãs.
Não toques na botelheira. Rouba antes uma chila: farás doce e filhozes.
Aproveita e rouba figos, prenhes de orvalho. Com sorte, à tarde, ainda, poderás ouvir o canto das gralhas e com muita sorte o canto das cigarras.

famel disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
chenouca`s disse...

Belas fotos Virgilio!!! Tb já tirei algumas da torre e realmente para qq lado que a gente se vire apetece "arrecadar" o momento... tal como no cimo da Serra. Dá-nos um sentimento de "imensidão", de "infinito",..., que magestosa paisagem a nossa!!! Tb gosto dos pormenores e apesar de ñ gostar da "botelha c/lête", gosto de doce de "chila" e de "mogango"...UmHHH!!! Parabéns ...

teresanibal disse...

ó vergiliu as botelheras paraicim umas que stavam spinduredas nas pareides du mé bucadito nu muru. Se forem aissas pudeindes fritá-las ás talhadas com loiro e alho,mas só quando stvairim marailas

VIRGILIO neves disse...

Terasanibal o retrato das botelhas foi tirado no barroco do vale na tchão das Silvas/SAMUEL. Su té bucadito for porriba da era da laige, tiré lá om retrato a ma macera abagada com tanta maçã quecê-lá, ela é taloqué. bolelha frita nom provê mas braigeras apareciam na mnha casa damiúdo.

teresanibal disse...

A macera ai das malápias.realmente maus olhos non são p'rás veir.São dacailas que poim us bêçus marailos.Mai boas,.. intai me stá a cresceir auga na boca.botelha, braigera, pemeintus...e acaila mastrangada que laiva cebola, tomategas beim maduras,e pemeintus, tudo frito na certã e que depoi se botava por riba das batatas spulgadas? Hã!...

virgilio neves disse...

Teresaníbal tamãe m'alembro de comer as tais batatas spulgadas zmagadas e c'ompingo d'azete, mas acompanhavam as sardinhas fritas.
Lá im casa nom airamus amigus dos pementus purisso a mnha mãe já nom os punha, tomatgas sim, mas ás vezes eram tantas quiam dretas pá artesa dos porcos.
Voltando ás maçãs é gustava munto das aigras aquailas om bucado amargas e qu'a Tiá Benvinda (mãe do Prof. Daniel) nos dava quando lhiamus debulhar beiginhas. As malápias airam mai serôdias e só aparciam nas debulhas do milhu, ás vezes amasturadas cus figus secus.ó quandu havia alguem mai franco atai dava castanhas cuzidas. que saudades!...

Moka disse...

Virgílio, gostava de compreender o Sobralês.
Todos os dias dou uma volta pelos comentários, feitos aos temas colocadas pelos Contributors, mas na verdade, é que alguns deles, tenho de os voltar a ler, porque não entendo algumas das palavras do famoso Sobralês.

chenouca`s disse...

Delicioso... Virgilio e Teresa!!! Já me fartei de rir!!! Bem hajam!Adoraria saber "expor" as palavras como vós mas já me dou por feliz de "perceber" tudo na perfeição... consigo tranportar-me para uma conversa "made in Sobral" e ... ñ há palavras!!! Até vou tirar cópia disto para mostrar à "famelga", fenomenal... Virgilio, uns pimentinhos assados tb já iam... e já que falaram nas "debulhas" que tal recordarem um pouco lagumas das tradições... as "muscas", as "estórias", o convivio de que me lembro tão bem entre gerações nestas "lides"... era divinal!!!