segunda-feira, outubro 23, 2006

A geração mais recente


Apresento-vos a Catarina, O Carlitos, o Marco, o João Pedro, a Mariana, o Paulo e o Ricardo.
Estes são os mais recentes ocupantes da Escola Primária de Sobral de São Miguel.
São apenas sete, os alunos que hoje em dia ocupam as salas que outrora estavam apilhadas de crianças.
As brincadeiras são as de sempre, o fugitivo, o ferrado, jogar à bola, à moca, entre tantas outras!
Como era na vossa altura?

12 comentários:

Sobral disse...

na minha altura era 1.90m!!!

Fétera disse...

???? sobral ????
E a cotcha? E o pião? E o mata?

chenouca`s disse...

E ao queima, e à rilha, e aos berlindes, debaixo daquelas oliveiras era só poças... que saudades!!! Ainda me lembro das salas cheinhas de "putos"... era uma animação, o som da criançada ecoava pelo vale como se toda a aldeia estivesse repleta deles... e quando chegava o camião do "lete"... lá iamos todos acartar as paletes desde a porta do ti Abrantes - quando ñ era do cabecinho, que as ruas eram estreitas!!!! Enfim, outros tempos! Agora era certamente exploração infantil!!!

nuno marques disse...

Susi, esta malta é toda do Sobral?? Eu só conheço o filho do Carlos Galvão e o neto do Ti Pinto Santos. Quem são os restantes? Nos meus tempos de escola, havia sempre grande animação, jogavamos de tudo um pouco, claro que em maioria era futebol, com aquelas botas de pneu compradas no Ti Albertino que tal como eu quase todos os rapazes usavam. Nem as roseiras nos conseguiam resistir, o chão das salas pareciam umas auto-estradas com as marcas da borracha. Bons tempos, já lá vão...ficam apenas as recordaçãos do bons momentos.

Anónimo disse...

????

famel disse...

O carlitos (está em cima da oliveira é filho da marita; a catarina (de óculo) é filha do joão (irmão do luciano e da celine); a mariana é filha da adélia; o paulito é dilho da (maria da luz e do ramiro) e o ricardo é filho do leonel e da anabela

Fétera disse...

Parabéns, são todos muito engraçados!
Não sabia que a Adélia tinha uma filha, estou mesmo desactualizada!

Serranita disse...

Que arzinhos de traquinas! E o tradicional "por os cornitos" no vizinho da frente na foto,que não passa com as gerações...São mto queridos.
São mesmo só 7 alunos? É melhor falarmos baixinho, que ainda alguém se lembra de fechar a escola!

sarilha disse...

... e à bilharda?
ainda me lembro de no cabecinho se dizer que se ouvia a voz do prof. Rito a tentar calar a malta toda... eramos mm muitos... hoje são menos mas alegria e a vivacidade mantém-se...o que é importante é que as gerações se renovem e que os valores, as tradições persistam..

nuno marques disse...

Obrigado Susi, afinal vendo bem até os conheço todos, mas como passo muito tempo sem ir ao Sobral fico completamente desactualizado. Mas não há tempo como o nosso, eramos uma praga tão grande que nem as oliveiras davam azeitona e as ervas daninhas não se atreviam a romper no chão.

famel disse...

E as rodilhas e tapetes a voarem da sala de cima para a debaixo? Era ver a paciência da dona Teresa quase a acabar!

Mariita disse...

A minha (nossa) escola! Anos 60/65... primeiro grande mundo de aprendizagem e conhecimento.
Professoras maravilha que conseguiam ensinar tanta criança -classes diferentes ao mesmo tempo!
Reguadas não faltavam... e havia uma que para além disso, "adorava" bater com uma vara de marmeleiro!
Por vezes, devia ser quando estava bem disposta... tocava acordeão! Era o "relaixo"!!!
No recreio, era uma alegria, com algumas brincadeiras "proibidas", como de os rapazes saltarem o muro para o lado das raparigas, ou estas esconderem a bola quando caía do lado delas. Quando as "coisas aqueciam", era o refúgio junto da Jutilia, ou então bastava que o professor Daniel passasse de lado... tudo se acalmava!
Os jogos mais calmos eram:
O quente–quente... frio-frio, a bilharda, o dá-me lume, o pião, a cabra-cega, o botão, o anel, a sardinha, as cantigas de roda - com o lencinho, o sr. Barqueiro etc. etc…
Havia um jogo que era feito só quando chovia, em que se espetava um prego no chão, e se iam fazendo voltas...como é que se chama?
Outro muito giro, que requer concentração e uma certa habilidade, feito com os seixos redondinhos da ribeira, que se atiram ao ar e se vão apanhando sem tocar uns nos outros... que nome tem?
Saudade... saudade...
Que pena a escola ter agora tão poucas crianças. Um local sem a sua alegria, jovialidade e travessuras, começa a perder o sentido da vida.
Quem dera pudesse haver mudanças!!